Press "Enter" to skip to content

Xiaomi Mi 11 é desmontado e revela Snapdragon 888 esquentadinho

O Mi 11 foi oficializado nesta segunda-feira (29), mas a mídia especializada chinesa já começou a destrinchar o aparelho para tentar encontrar novidades que não vieram ao caso durante o lançamento. Um youtuber de tecnologia e especialista em desmontagem chinês desmontou uma unidade do novo topo de linha da Xiaomi para vermos como ele é por dentro.

Para a alegria dos entusiastas, o Mi 11 tem um processo de desmontagem bastante simples, com os componentes internos bem organizados e “bonitos”, destaca o youtuber. Por dentro, o smartphone usa paredes internas de dissipação de calor refrigeradas a líquido VC, o que, aliado a uma combinação de grafite, folha de cobre, aerogel e graxa térmica ajuda a mantê-lo “numa fria” pelo maior tempo possível.

Foto: Reprodução/Seekdevice

Mesmo com esse sistema de resfriamento robusto, o youtuber registrou uma grande quantidade de calor ao reproduzir PUGB: Mobile nas configurações máximas em 60 Hz por 30 minutos, chegando a 41 °C na região da tela e 40 °C na parte de trás. Genshin Impact, por outro lado, teve temperatura máxima de 37º durante uma hora de jogatina com todas as configurações no máximo.


Participe do GRUPO CANALTECH OFERTAS no Telegram e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Pode parecer alto, mas pode-se dizer que o Mi 11 se saiu muito bem no controle de temperatura, já que sem os materiais de dissipação do smartphone facilmente atingiu a casa dos 80 °C. Ou seja, parece que será necessário um sistema de resfriamento muito eficiente para controlar todo o poder do chipset Snapdragon 888.

Com relação ao módulo de câmeras, o Mi 11 traz o mesmo vidro de proteção usado nos novos iPhone 12, mas somente para o sensor principal de 108 MP, que por sinal é um HMX da Samsung. A câmera macro e o sensor dedicado para selfies também é fabricado pela sul-coreana, enquanto a câmera ultrawide é feita pela OmniVision.

Foto: Reprodução/Seekdevice

Como divulgado pela Xiaomi, a bateria do Mi 11 tem 4.600 mAh de capacidade e traz apenas uma célula. Ela é produzida pela Sunwoda Electronics e suporta carregamento de 55 W com fios e 50 W sem fio. O smartphone também possui um sensor de aderência que, com a ajuda do software, previne toques acidentais na tela curva.

As vendas do Mi 11 estão previstas para começar somente no dia 1º de janeiro na China. Não há previsão de lançamento em outros mercados.

Veja o vídeo completo na íntegra (em chinês):

 

Leia a matéria no Canaltech.

Trending no Canaltech:

Mission News Theme by Compete Themes.