domingo, maio 9

WhatsApp Pay estreia oficialmente como novo sistema de pagamentos no Brasil

A partir desta terça-feira (4), o WhatsApp Pay inicia o funcionamento de seu sistema de pagamentos para usuários brasileiros. A novidade está sendo distribuída de forma gradual para o público local (um dos primeiros a recebê-la) e deve estar disponível para todas as pessoas físicas dentro das próximas semanas.

Segundo o comunicado emitido pelo Facebook, empresa proprietária do WhatsApp, os pagamentos para empresas vão chegar em um momento futuro, assim que a aprovação necessária for liberada. O CEO da companhia, Mark Zuckerberg, afirmou que o Brasil foi um dos primeiros países do mundo escolhidos porque ele sabe o quanto o comunicador é importante por aqui.

 

O diretor de operações do WhatsApp, Matt Idema, explica que o sistema facilita o envio e o recebimento de dinheiro de forma segura, evitando a exposição à pandemia do COVID-19. Inicialmente, o aplicativo vai permitir o pagamento com cartões de débito, pré-pago ou combo do Banco do Brasil, Banco Inter, Bradesco, Itaú, Mercado Pago, Next, Nubank, Sicredi e Woop Sicredi com bandeiras MasterCard e Visa — as operações serão conduzidas pela Cielo e se baseiam em um modelo aberto para outras empresas parceiras.


Canaltech no Youtube: notícias, análise de produtos, dicas, cobertura de eventos e muito mais! Assine nosso canal no YouTube, todo dia tem vídeo novo para você!

Como funciona

Todas as operações são feitas através do Facebook Pay, que oferece diversas camadas de segurança — incluindo soluções de biometria em aparelhos compatíveis e PIN — para garantir a tranquilidade dos usuários. Inicialmente, a empresa também estabeleceu limites para os valores e quantidades de transações que podem ser feitas durante cada dia.

 

Segundo o WhatsApp, há um limite de envio de até R$ 1 mil por transação e até 20 recebimentos poderão ser feitos por mês (com um limite total de R$ 5 mil), sendo que os valores podem variar conforme o banco parceiro. Além disso, só será possível fazer pagamentos e transferências com moeda local e é preciso ter um número de telefone do Brasil para usar o novo serviço.

Leia a matéria no Canaltech.

Trending no Canaltech: