segunda-feira, abril 5

Tom Brady nunca tomou nem uma xícara de café, revela ação da IWC

De um lado, Tom Brady, um dos maiores jogadores de futebol americano. Do outro, Lewis Hamilton, piloto de Fórmula 1 que dispensa apresentações. Entre os dois, o comediante James Corden. Embaixadores da relojoaria IWC, os dois primeiros foram reunidos por ela para uma entrevista comandada pelo último do trio. Termina com um impagável jogo de “verdadeiro ou falso”, no qual Brady confessa nunca ter tomado nem uma xícara de café. Confira a conversa na integra em vídeo e a tradução dela em português.

Seu dinheiro está seguro? Aprenda a proteger seu patrimônio

James Corden: Estou conversando com duas das maiores estrelas do esporte do mundo. O maior “quarterback” de todos os tempos, Tom Brady, e o maior motorista de corrida da Fórmula 1 de todos os tempos, Lewis Hamilton. Como vocês estão, senhores? Seus caminhos já se cruzaram antes?

Lewis Hamilton: Sim. Tom e eu já nos encontramos várias vezes e estamos em contato há alguns anos. Às vezes eu mando mensagem para ele, tentando secretamente pegar alguns conselhos.

JC: Agora vejam, os dois têm tanto em comum, porém seus esportes são completamente diferentes. Que similaridades vocês acham que compartilham além de, na minha franca opinião, serem dois atletas com boa aparência? Por exemplo, Lewis, quando você olha para Tom você vê alguma similaridade?

LH: Sim, vejo. Quer dizer, eu observo bem atentamente o que o Tom alcançou com algumas coisas que ele faz no seu treinamento, como  se prepara. Como conduz a relação junto com seu time. Tem tantas coisas que você pode aproveitar ao observar um grande atleta como Tom, assim você pode aplicá-las para melhorar o atleta ou pessoa que você é.

O piloto em prova de 2020Divulgação/Divulgação

JC: E Tom, o que vê outras atletas como Lewis? Ele é inspirador? Você vê alguma similaridade na dedicação dele como atleta?

Tom Brady: Claro. Lewis foi, desde, adolescente, um dos prodígios do esporte. E Lewis já treinou essa manhã por, não sei, 10, 12 horas, ou algo assim. Quantas pessoas estão fazendo isso? É por isso que ele é o melhor campeão de Formula1 de todos os tempos.

JC: Só ouvindo você dizer isso, Tom, você me lembra de quando o Lewis era mais jovem e tinha vencido um torneio de Kart indo  para cima do Ron Dennis, que estava correndo para o time da McLaren. Então você disse: “Olá, eu sou Lewis Hamilton, e eu vou correr para por um dia.” E aí, Tom. Estou certo de pensar que quando você assinou seu contrato profissional, você disse para o capitão do time, “eu vou ser a melhor decisão que você fez um dia.” Isso é verdade?

TB: Eu disse mesmo isso para o chefe do meu time mas para ser mais exato foi: “você nunca vai se arrepender de ter me escolhido.” Agora, eu penso que ele não se lembra realmente do que aconteceu, mas é assim que eu me lembro. Mas eu acho que o ponto é que existia uma confiança a qual é necessária de se ter, e eu sempre digo aos meus colegas do time, “você tem que acreditar em si mesmo antes  de qualquer um” porque quando você está com seu time, eles te olharão no olho. E se você mostra que tem confiança e acredita em si mesmo, eles irão acreditar em você e eles acreditarão em si mesmos.

LH: Eu, quando era mais jovem, pensei, “Okay. Eu sei que consigo fazer isso.” Eu tinha treinado muito e estava preparado, e eu sabia que quando conseguisse a oportunidade, eu iria aproveitá-la ao máximo. Então, eu fui muito sortudo de conseguir uma oportunidade logo no início. Eu não sei como foi para você, Tom, mas na minha vida, absolutamente tudo aconteceu como desejava, tem sido algo que eu já visualizava como um sonho. Eu dei tudo que eu tinha para chegar nesse lugar, claro, com muita ajuda de pessoas maravilhosas em minha volta. Eu tinha essa visão e convicção dentro de mim, o que me ajudou a chegar aonde estou. E, é claro, olhando para 10, 15 anos atrás, você pode imaginar que aquelas coisas iam tornar-se realidade. E meu chefe me deu uma possibilidade mas  ganhei a competição mundial para ele dez anos depois. Então, é muito interessante ouvir algo similar vindo de Tom.

JC: Muito de seus dois esportes são sobre a importância do tempo perfeito. Tom, me diga sobre o tempo perfeito no football.

TB: Eu acho que quando o tempo está do seu lado e o ritmo está certo, você tem que permanecer assim, e você tem que achar meios de se manter assim. E essa a parte difícil de fazer porque tem muitas forças externas vindo até você porque normalmente há um oponente tentando a mesma coisa que você. Quando você sai desse ritmo e seu tempo não é bom, muitas pessoas mesmo assim computam sendo o mesmo tempo, e eu sempre penso que essa é um boa oportunidade de tornar as coisas mais devagar. E aí sim, pensar, onde nós estamos? Como nós reavaliamos isso? Você está no mesmo jogo e metade dele não correu como você planejava. Bom, você tem que mudar o ritmo, mudar mesmo. E então, quando você muda, você consegue continuar.

LH: Quando eu assisto um jogo seu, Tom, eu penso como você faz essa última decisão de última hora para achar seu ritmo e eu acho muito similar com o que eu faço também nas corridas, realmente é muito importante entrar em um ritmo.

JC: Eu sei que vocês dois tem uma grande paixão por relógios. Lewis, o que nos relógios você ama tanto?

LH: Eu sempre gostei de saber da parte mecânica dos relógios. Quando era criança,  sempre desmontava objetos e reconstruía-os. Quando você olha para um desses relógios com 500 peças montadas por apenas uma pessoa, essa habilidade realmente me fascina. E, obviamente as peças são muito pequenas. Eu lembro quando comprei meu primeiro relógio, vinha de Agros na Inglaterra, e o relógio tinha quase três quilos. Eu lembro de ter economizado para comprá-lo. Eu fui usando para escola e eu me senti muito orgulhoso. Eu sempre usava de modo que meu blazer não o escondesse, eu pensava que era algo que me elevava.

JC: E você, Tom, quando você descobriu sobre sua paixão por relógios e o que eles  representam?

TB: Com certeza homens não têm tantas joias para usar, porém um relógio, como o Lewis disse perfeitamente, eleva seu visual. Na faculdade, eu sabia que  ia para um ramo profissional e tinha como imagem no  protetor de tela do meu computador um relógio, um IWC GST Automatic Alarm dos anos 90, então eu pensava “se um dia eu fizer um pouco de dinheiro, esse vai ser o relógio que eu vou comprar.” E eu acabei comprando meu primeiro relógio da IWC em uma loja Tonneau na Avenida 57, em Nova York, que ainda tenho.

JC: O que vocês dois conquistaram nos últimos 12 meses dentro do seu esporte, eu acho que realmente podemos separar o que é ser ótimo de ser o maior de todos os tempos. De repente, não é  um debate, é um fato. O que os impulsiona a seguir em frente e a quebrar recordes que vocês já estabeleceram?

TB: Em primeiro lugar, acho que é um verdadeiro amor pelo que estou fazendo. Isso não é como um trabalho. É realmente um amor verdadeiro e me apaixonei pelo que faço há muito tempo. Lewis adora o que está fazendo. Tipo, por que tirar um dos grandes amores da sua vida apenas arbitrariamente para fazer outras coisas, quando talvez ainda não chegou momento? Acho que o amor pelo que faço e a vontade de continuar a aprender e a melhorar é o que realmente me agrada. No final das contas, eu estava sempre tentando ser o meu melhor, não o melhor. Sempre tive satisfação em saber que me preparei o máximo que pude. Eu também me dediquei  muito emocionalmente para o que estava fazendo. Me entreguei muito para meus companheiros. Eu dei tudo que tinha e isso é a coisa mais gratificante. Portanto, mesmo que você não obtenha o resultado que deseja, ainda estará de certa forma satisfeito. Embora você provavelmente não esteja feliz, é uma satisfação saber que você deu o seu melhor.

JC: E você, Lewis? O que te faz continuar? Você tem uma meta definida em mente? Você pensa: “Bem, vou conseguir isso e depois vou reavaliar isso?”

Tom Brady em ação da IWCDivulgação/Divulgação

LH: Provavelmente quando eu era mais jovem, inconscientemente, haviam objetivos. A primeira etapa foi chegar à Fórmula 1 e, em seguida, a próxima foi: “Tudo bem, estou aqui. Adoraria chegar lá.” E então, eu alcancei esse ponto, e então o que viria a seguir? E essa jornada inicial é sobre sua missão. E é o seu único tipo de objetivo. Para mim, quando estava mais adiantado, percebi que faço parte de uma equipe enorme de mais de 1.000 pessoas, como você pode se elevar? Como você pode erguer outras pessoas? E é um processo estranho deixar de ser jovem na adolescência, onde tudo se resume ao seu sucesso, para então ver que se trata de um grupo maior.

JC: Vamos falar sobre superstições, ok? Nunca conheci um atleta ou estrela do esporte que não tivesse. Fale comigo sobre suas superstições. Você tem algum ritual que faz antes de um jogo ou antes de uma corrida que lhe traz sorte? Tom, você tem alguma coisa?

TB: Este vai ser o primeiro dia que você conhece alguém que não tem superstições. Não há nenhuma.

LH: O mesmo comigo. Não sou nem um pouco supersticioso.

JC: Você não amarra seus sapatos de uma certa maneira? Você não usa uma luva especial, nada?

TB: Ei, se essa é a razão pela qual estamos perdendo, estamos ferrados.

LH: Mas , Tom, você nunca  teve alguma superstição?

TB: Nunca mesmo.

LH: Bem, eu já tive… Quando eu era mais jovem, acho que devia ter 10 ou 11 anos, meu irmão me deu este Conker, e era meu Conker da sorte. Então, eu colocava no meu uniforme. Não sei o que aconteceu com a coisa. Saiu da perna da calça ou algo assim, perdi esse Conker. E, depois disso, eu tinha um par de cuecas da sorte. Minha mãe que as escolheu. Não funcionou até que eu tinha 17 ou 18 anos, … Um dia eu estava me vestindo, meia direita primeiro, meia esquerda. Seguia as etapas, nessa ordem. E eu lembro que entrei no carro, estava na Alemanha, e estava prestes a começar a corrida, e meu capacete não estava arrumado. Então eu perdi um dos elementos dessas etapas que foi crucial para realizar o trabalho. E lembro que caí alguns segundos depois. Depois disso, pensei: “Isso é ridículo. Isso está tudo na minha cabeça” e, basicamente, me livrei disso. E agora, como Tom, não tenho nada disso. Acho que provavelmente criamos essas coisas em nossas mentes. E seguindo o que  Tom estava dizendo, com os desafios psicológicos que enfrentamos, você precisa liberar sua mente e deixar a grandeza fluir, eu acho.

JC: Agora, eu queria jogar um jogo rápido de verdadeiro ou falso, ok? Vamos colocar você um contra o outro, certo? Ambos sabem como dominar seus respectivos esportes. Agora, vamos descobrir o quão bem vocês dois se conhecem. Então, o que vamos fazer, vamos colocar 60 segundos no relógio.

TB: Vou precisar colocar meu capacete?

JC: Sim, você precisa de seu capacete. É isso. Isso é sério. Este é o maior torneio do qual vocês farão parte, ok ?! Então, vamos colocar 60 segundos no relógio. Vai ter um teste de conhecimento com um simples verdadeiro ou falso, ok? Tom, você vai primeiro. Essas perguntas são todas sobre Lewis Hamilton. E seu tempo começa agora.

JC: É verdade que o Lewis pode perder quase 4 quilos durante uma única corrida.

TB: Verdadeiro.

JC: Correto. Vai ser minha nova dieta.

TB: Ei, você está gastando meu tempo!

JC: Vou adicionar três segundos. Lewis ganhou 90 corridas durante sua carreira, verdadeiro ou falso?

TB: Falso. Muito mais do que isso. Noventa e cinco.

JC: Correto. Lewis faz uma dieta inteiramente baseada em vegetais, verdadeiro ou falso?

TB: Verdadeiro.

JC: Verdade. Verdadeiro ou falso, Lewis participou da canção “Not Myself Tonight?” De Christina Aguilera.

TB: Falso

JC: Isso era falso. Era “Pipe” sob o pseudônimo de XNDA. OK. Verdadeiro ou falso, Lewis tem uma participação especial no filme da Pixar “Carros 2?”

TB: Verdadeiro!

JC: Verdadeiro está correto. OK. Lewis tinha apenas 13 anos quando conseguiu seu primeiro contrato de Fórmula 1?

TB: Verdadeiro.

JC: Verdadeiro, está absolutamente certo. Olhe para isso. Ele acertou seis perguntas. Então, Lewis, sua melhor chance aqui é empatar com Tom Brady. Há muita pressão sobre seus ombros agora.

TB: Vamos manter isso em mente.

LH: Ele está me deixando maluco.

Lewis Hamilton: embaixador da IWCDivulgação/Divulgação

JC: Ele realmente está! Ele está realmente entrando em sua mente. OK. Lewis, aqui vamos nós, 60 segundos no relógio, por favor. Essas perguntas são todas sobre Tom Brady. Verdadeiro ou falso, Tom Brady nunca tomou uma xícara de café?

LH: Verdade.

JC: É verdade! Tom, você deveria tentar. É tão bom! OK. Pergunta dois. Tom arremessou para 2.217 jardas e 16 touchdowns em seu último ano jogando pelo Ohio State Bucks?

LH: Falso.

JC: Falso. Você está certo. Ele jogou para o Michigan Wolverines. Verdadeiro ou falso, Tom foi o 89ºescolher no draft de 2000 da NFL?

LH: Falso.

JC: É 199º. Verdadeiro ou falso, Tom bebe no mínimo 3 litros de água por dia? São 14 copos, verdadeiros ou falsos?

LH: Vou dizer que é verdade.

JC: Verdade é certo. O time profissional de beisebol, o Montreal Expos, queria contratar Tom em 1995 e ele recusou, verdadeiro ou falso?

LH: Verdade.

JC: Ok, ótimo. Tom Brady fez uma participação especial na série da HBO Entourage, verdadeiro ou falso?

LH: Verdade.

JC: E é verdade. Olhe para isso. Um empate incrível. Há grandeza em vocês dois. Veja isso. Sete campeonatos de Fórmula 1 e agora você empatou neste também.

Não posso deixar de  dizer, Tom e Lewis, sempre que estive perto de vocês, é sempre uma emoção. Mas ter este momento de poder conversar com vocês dois é uma emoção absoluta para mim. É realmente, realmente é. Parabéns por tudo que vocês conquistaram em seus esportes e por tudo que vão continuar fazendo. Sabemos que haverá um grande debate sobre quem é o maior velocista, estrela do basquete, jogador de tênis, mas não há dúvida de que vocês dois estão entre os maiores esportistas de todos os tempos.

Obrigado por se juntarem a mim hoje para uma conversa inspiradora e brilhante. Tom Brady, muito obrigado Lewis Hamilton, muito obrigado. Boa sorte no futuro, pessoal!