Press "Enter" to skip to content

TikTok vai à Justiça para evitar bloqueio nos EUA

A luta para evitar que o TikTok seja banido nos Estados Unidos continua. Nesta semana, a chinesa ByteDance, dona do serviço, foi à Justiça americana para impedir que o Departamento de Comércio dos Estados Unidos aplique a sanção que impediria os aplicativos da rede social de serem distribuídos no país.

App do tiktok no iPhone

O TikTok poderia ter sido barrado no último domingo (20), mas um acordo entre ByteDance, Oracle e Walmart evitou o pior. A parceria prevê a criação do TikTok Global. A ByteDance terá 80% de participação na nova entidade enquanto Oracle e Walmart dividirão os 20% restantes.

Mas isso não significa que a novela terminou. Diante do acordo, o Departamento de Comércio adiou por uma semana o início do bloqueio. É uma forma de permitir que o governo analise todos os aspectos da proposta. Por conta disso, novos adiamentos poderão ser aplicados.

Se, no fim das contas, a administração Trump concluir que o acordo não atende às condições desejadas, poderá simplesmente não aceitá-lo, o que levaria ao banimento do TikTok. É exatamente isso o que a ByteDance quer evitar.

Digamos que há um precedente. O WeChat, serviço de mensagens instantâneas bastante popular na China, também poderia ter sido banido no último domingo, mas um processo judicial movido por usuários da plataforma nos Estados Unidos evitou o bloqueio.

Para Laurel Beeler, juíza de um tribunal da Califórnia que atendeu à ação, há poucas evidências de que o banimento do WeChat seria significativo para a segurança nacional dos Estados Unidos.

kon-karampelas-TikTok-unsplash

No processo judicial, a ByteDance afirma que fez “esforços extraordinários” para atender às demandas do governo americano, incluindo mudanças na estrutura de negócio do TikTok — vale lembrar que o serviço é acusado pela administração Trump de servir de ferramenta de espionagem para o governo chinês, basicamente.

Na ação, a empresa também argumenta que o banimento poderá ter consequências negativas para os usuários americanos, como deixar aqueles que não baixaram o aplicativo sem acesso a ele semanas antes da eleição presidencial (marcada para novembro).

A aprovação do acordo entre ByteDance, Oracle e Walmart não vai ser fácil. Por um lado, a administração Trump quer que o TikTok fique sob controle de empresas americanas. Por outro, está o governo da China, que também precisa aprovar a parceria, mas não parece disposto a deixar que um negócio chinês seja transferido para outro país tão facilmente.

Com informações: TechCrunch.

TikTok vai à Justiça para evitar bloqueio nos EUA

Mission News Theme by Compete Themes.