sexta-feira, abril 2

Tabagismo pode deixar de existir em 20 anos, segundo especialistas

Nos últimos tempos, a tecnologia abraçou até mesmo o hábito de fumar, fornecendo os famosos vapes, o que levou a uma queda na busca pelo cigarro comum. Tendo em mente essas mudanças e outras projeções, analistas da Jefferies (um banco de investimentos independente multinacional americano, voltado também a serviços financeiros) apontaram que o tabagismo pode estar extinto em 10 a 20 anos.

Essa estimativa é baseada no fato de que governos e as empresas de tabaco estão do mesmo lado nessa mudança, à medida que mais países adotam metas antitabagismo e as empresas se concentram em levar os fumantes a consumir produtos de risco reduzido, como vape e nicotina oral, por exemplo.

A visão de que os cigarros podem se tornar obsoletos também é defendida pelo Citigroup Inc., que espera que o tabaco desapareça até 2050 nos Estados Unidos, em algumas partes da Europa, na Austrália e em grandes partes da América Latina, se a tendência de declínio observada nas últimas décadas continuar. “O tabagismo tem diminuído nas últimas cinco décadas por causa de pressões de atitudes sociais, regulamentação e tributação”, apontou um dos analistas do Citi, Adam Spielman.


Siga o Canaltech no Twitter e seja o primeiro a saber tudo o que acontece no mundo da tecnologia.

Tabagismo pode deixar de existir em até 20 anos, de acordo com alguns  especialistas de instituições financeiras norte-americanas (Imagem: fotografierende/Pexels)

Os analistas apontam, inclusive, que o número de menores de idade que fumam diminuiu quase 75% em apenas 20 anos.

A Philip Morris International, multinacional produtora de tabaco e seus derivados, chegou a sinalizar no início do segundo semestre de 2020 que as vendas de cigarros podem parar completamente, no futuro. “Estou convencido de que é possível encerrar completamente as vendas de cigarros em muitos países dentro de 10 a 15 anos”, escreveu o CEO da empresa, Andre Calantzopoulos em um relatório.

A compania em questão agora está trabalhando arduamente para direcionar seus consumidores aos produtos livres de fumo. A meta, segundo o próprio CEO, é que 40 milhões de fumantes adultos devem mudar seus hábitos até 2025.

Tecnologia para parar de fumar

A boa notícia é que se você está pensando em parar de fumar, a tecnologia pode ser uma grande aliada.  O fumante que busca informações ou mesmo que pretende controlar a quantidade de cigarros diários pode encontrar uma solução nos aplicativos disponíveis para download na App Store ou na Play Store. São inúmeros, e o Canaltech já listou alguns deles em um especial para parar de fumar na pandemia. Além de aplicativos, assistentes virtuais também podem ser de grande ajuda nessa árdua missão.

Enquanto isso, para os fumantes que almejam orientação médica, algo que tem estado muito em alta durante essa pandemia é a telemedicina. Há diversas plataformas que podem conectar o paciente a um profissional. Sendo assim, é possível se comunicar com o médico por escrito, por áudio ou ainda por vídeoconferência.

Aplicativos, assistentes virtuais e até mesmo a telemedicina são algumas formas da tecnologia te ajudar a deixar o cigarro de lado (Imagem: Free-Photos/Pixabay)

Na ocasião, o Canaltech chegou a conversar com a Dra. Jaqueline Scholz, coordenadora de ações relativas ao tabagismo da Sociedade Brasileira de Cardiologia, que disse: “Normalmente, a tomada de decisão é fundamental. No entanto, tomar a decisão não significa que você vai conseguir. Às vezes, mesmo bem-intencionado, há uma série de sintomas desagradáveis que fazem o fumante mudar de ideia. Tabagismo é uma dependência, então a primeira coisa é reconhecer isso. Viu que é difícil? Procure ajuda”. 

Leia a matéria no Canaltech.

Trending no Canaltech: