quarta-feira, fevereiro 24

SpaceX explica que falha térmica causou dano ao propulsor perdido do Falcon 9

Na semana passada, a SpaceX lançou mais uma leva de satélites Starlink com um foguete Falcon 9. Os satélites foram levados com sucesso para a órbita desejada, mas o propulsor do foguete teve uma falha e não conseguiu pousar na embarcação que o aguardava no Oceano Atlântico. Agora, de acordo com novas informações de um oficial da empresa, a falha foi causada por danos térmicos, mas as investigações do ocorrido seguem em andamento.

Durante a missão, foram lançados 60 satélites Starlink, componentes da megaconstelação que vai fornecer internet de alta velocidade em todo o mundo. Quando o propulsor do foguete voltava para pousar na embarcação “Of Course I Still Love You”, seus motores deveriam ter sido desligados após a queima da entrada, mas imagens de uma câmera a bordo do foguete mostraram fogo. Em seguida, os dados de telemetria foram interrompidos, e a câmera da embarcação registrou um brilho laranja distante bem quando o pouso deveria ter acontecido.

A informação da causa da falha que, até então, era desconhecida, veio de Hans Koenigsmann, conselheiro sênior de construção e confiabilidade de voo na SpaceX durante: “isso teve a ver com danos térmicos, mas a investigação está em andamento”, disse ele. O oficial também comentou que a empresa estava próxima de descobrir o problema e corrigi-lo, e que isso era tudo que podia ser falado até o momento.

Este propulsor estava em seu sexto lançamento, e a falha interrompeu uma sequência de mais de 20 pousos de sucesso dos propulsores dos foguetes Falcon 9 — segundo a empresa, a versão mais recente do foguete pode voar até 10 vezes, precisando apenas de pequenas inspeções e atualizações. Desde o ocorrido, a SpaceX não realizou mais lançamentos dos satélites, mas é esperado que haja um novo lançamento no dia 28 de fevereiro.

Agora, os outros clientes da empresa estão cautelosos e atentos ao andamento das investigações. Joel Montalbano, gerente de programa da Estação Espacial Internacional na NASA, disse que a agência espacial está verificando com a SpaceX alguma possibilidade de alteração no lançamento da missão Crew-2. Essa missão deverá ser lançada até 20 de abril para levar quatro astronautas ao laboratório orbital com a nave Crew Dragon. Contudo, ainda é cedo para saber se haverá algum tipo de impacto no lançamento da missão.

Já Wayne Monteith, administrador associado de transportes espaciais comerciais para a Federal Aviation Administration, não considerou que o ocorrido seja motivo de preocupação em relação à segurança: “é o que chamamos de uma falha bem sucedida”, disse, explicando que a falha aconteceu dentro do regime de segurança e que a empresa protegeu o público e a propriedade pública. “Cada um destes voos mostra algo novo, que permite que a indústria avance”, completou.

Leia a matéria no Canaltech.

Trending no Canaltech: