quarta-feira, maio 12

Seca em Taiwan pode tornar escassez de chips ainda pior do que o esperado

A escassez de chips computacionais pode piorar ainda mais nos próximos meses devido a uma seca que atinge Taiwan. O problema, que afeta plataformas para celulares e automóveis e também chips de alta performance para computadores, já era grave, e agora deve ficar ainda maior com a falta de chuvas no país asiático.

Taiwan é o maior produtor de semicondutores do mundo, com cerca de 67% da fatia global, quando somadas as fábricas de TSMC, UMC, VIS e PSMC, de acordo com dados da Counterpoint Research para 2020. Há ainda outras fabricantes no país, como Micron Technology, Nanya Technology, Macronix e Winbond, que possuem fatia de mercado menor.

O país asiático ainda se destaca na produção global de semicondutores por conta de uma posição única na indústria de função e montagem terceirizada (OSAT, na sigla em inglês). A fabricação de chips exige alta tecnologia e investimento a longo prazo, por isso qualquer problema em uma região que concentra cerca de dois terços da oferta global pode acarretar problemas em toda a cadeia produtiva.


Siga no Instagram: acompanhe nossos bastidores, converse com nossa equipe, tire suas dúvidas e saiba em primeira mão as novidades que estão por vir no Canaltech.

E como a produção de semicondutores já enfrentava problemas por conta da pandemia de COVID-19, a guerra comercial entre EUA e China e outros fatores, a falta de chuvas em Taiwan soa um alarme em todo o planeta. O diretor-executivo da TSMC já afirmou que a escassez pode afetar a indústria até, pelo menos, o próximo ano.

A seca em Taiwan

Escassez de chips pode ser pior do que se imaginava (Imagem: Reprodução/Envato)

A fabricação em massa de chips computacionais exige uma fonte de água de qualidade, e Taiwan garantiu esse critério por muitos anos devido às chuvas que atingem o país, levadas principalmente por 7 a 9 tufões que passam pela região todos os anos. No entanto, apenas um atingiu a área durante todo o ano de 2020, o que agravou ainda mais a situação já nada fácil na indústria de semicondutores.

Além disso, a região costuma ver chuvas pelo encontro de massas de ar quente e fria durante a primavera e o verão, além de precipitações mais leves durante o outono e o inverno nas montanhas a noroeste. As chuvas da primavera também foram em quantidade reduzida, o que levou à maior seca que atravessa o país nos últimos

Por conta disso, Taiwan passa pela pior seca dos últimos 56 anos, o que levou o governo a tomar várias medidas como transferir água entre reservatórios, reduzir o abastecimento para agricultura e residências, perfurar poços e até dessalinizar água do mar. As fábricas, incluindo as de semicondutores, também receberam um pedido para reduzir o consumo, o que afeta a produção.

O nível de água nos reservatórios principalmente no noroeste do país atingiram um dos níveis mais baixos dos últimos anos. As empresas de chips podem ficar, em breve, entre duas soluções: realocar a produção para outra região ou priorizar a sequência de produção para evitar problemas de abastecimento e um possível racionamento.

E o mundo todo segue em alerta para escassez ainda maior de chips computacionais.

Leia a matéria no Canaltech.

Trending no Canaltech: