Press "Enter" to skip to content

Reviravolta à vista? Conselheira do Cade pede reanálise para a compra de ações da BRF pela Marfrig e papéis recuam mais de 4%

Uma reviravolta inesperada tomou conta do mercado financeiro nesta tarde de quinta-feira (14). Depois de aprovar no fim de setembro a aquisição de mais de 30% das ações da BRF feita pela Marfrig, o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) pode ter que voltar a discutir a questão. 

Power BI para Investidores

A conselheira Lenisa Prado apresentou um despacho pedindo uma segunda análise da operação . Para ser aceito, a requisição deve ser aceita na sessão do dia 20. 

No documento, Prado afirma que a análise feita foi deficiente e não houve aprofundamento em aspectos relevantes da operação. Confira alguns dos sinais amarelos levantados pela conselheira:

Preocupação com a dinâmica concorrencial, já que seria preciso analisar mais informações dos setores e mercados de atuação das companhias; 
O poder de influência exercido pelo acionista majoritário na BRF, “em especial um acionista que atua no mesmo setor, e que já foi concorrente ainda mais próximo quando atuava com a marca “Seara””;
Os possíveis impactos da operação para consumidores efetivos e potenciais.

As ações da BRF reagiram negativamente ao documento. Por volta das 17h, os papéis da companhia lideravam as quedas do Ibovespa, em queda de 4,54%, a R$ 22,23. Já as ações da Marfrig avançam 2,81%, a R$ 27,82. 

Você pode conferir o despacho completo neste link. A conselheira do Cade não é a primeira a mostrar descontentamento com a operação. Na semana passada, o Instituto Brasileiro de Estudo e Defesa do Consumidor (Ibedec) já havia tentado reverter a decisão, citando um prejuízo aos concorrentes e consumidores. 

Relembre a operação

No fim de maio, um comprador misterioso comprou cerca de 24% das ações da BRF ao longo de uma semana. Depois de muita especulação do mercado, foi confirmado que o comprador misterioso era a Marfrig, em uma operação possível graças à ausência de um bloco controlador na companhia e a alta pulverização do capital na bolsa. 

No início de junho, a Marfrig fez nova investida e encerrou a sua movimentação ao adquirir cerca de 31,66% do capital da BRF, se tornando a maior acionista individual da BRF.

The post Reviravolta à vista? Conselheira do Cade pede reanálise para a compra de ações da BRF pela Marfrig e papéis recuam mais de 4% appeared first on Seu Dinheiro.

Mission News Theme by Compete Themes.