segunda-feira, abril 5

Renúncia de conselheiros do BB, programa de recompra de ações da Vale, notícias de Petrobras e mais destaques

SÃO PAULO – O noticiário corporativo na volta do feriado tem como destaque o Banco do Brasil, que confirmou na noite de quinta-feira a renúncia de conselheiros de administração da estatal.

O conselho da mineradora Vale aprovou na quinta um programa de recompra limitado a 270 milhões de ações ordinárias e seus respectivos ADRs, informou a companhia em fato relevante ao mercado.

Já as vendas totais de diesel da Petrobras cresceram 35% em março ante o mesmo mês do ano passado, para média de 791 mil bpd (barris de petróleo por dia), diante de esforços comerciais e operacionais empenhados para mitigar efeitos da pandemia, informou a empresa na quinta.

Confira os destaques:

Banco do Brasil (BBAS3)

O BB confirmou na quinta-feira (1) que o atual presidente do Conselho de Administração da instituição, Hélio Magalhães, e o conselheiro independente José Guimarães Monforte renunciaram aos seus cargos. A movimentação começou após a renúncia de André Brandão da presidência da instituição, no mês passado, atribuída ao aumento da interferência do governo Jair Bolsonaro nas estatais e, em especial, no BB.

Na carta de renúncia, Magalhães afirma ter tomado a decisão em razão do “reiterado descaso com que o acionista majoritário vem tratando não apenas esta prestigiada instituição, mas também outras importantes estatais de capital aberto e seus principais administradores”.

O banco ainda enviou comunicado aos acionistas reapresentando documentos para a Assembleia Geral Ordinária (AGO) devido ao pedido de retirada de candidatura do conselheiro Luiz Serafim Spinola Santos. Foi mais um nome a deixar o conselho de administração do banco, após a confirmação das renúncias de Hélio Magalhães e José Guimarães Monforte.

Vale (VALE3)

O conselho da mineradora Vale aprovou na quinta um programa de recompra limitado a 270 milhões de ações ordinárias e seus respectivos ADRs, informou a companhia em fato relevante ao mercado. O volume representa até 5,3% do número total de ações em circulação, com base na composição acionária de 28 de fevereiro de 2021.

O programa será executado em um período de até 12 meses. A empresa pontuou que o programa de recompra não compete com a intenção da companhia de “consistentemente distribuir dividendos acima do mínimo estabelecido por nossa política de dividendos”.

Petrobras (PETR3;PETR4)

As vendas totais de diesel da Petrobras cresceram 35% em março ante o mesmo mês do ano passado, para média de 791 mil bpd (barris de petróleo por dia), diante de esforços comerciais e operacionais empenhados para mitigar efeitos da pandemia, informou a empresa na quinta. O volume foi 17% maior que março de 2019, pontuou a petroleira. No mês passado, a Petrobras superou ainda o recorde de vendas de Diesel S-10, com baixo teor de enxofre, alcançando a marca de 416 mil bpd. Este valor, segundo a companhia, supera em 2% o recorde anterior de 407 mil bpd, registrado em outubro de 2020.

Indicado pelo presidente Jair Bolsonaro para assumir o comando da Petrobras, o general da reserva Joaquim Silva e Luna iniciou os trabalhos de transição junto à atual gestão da estatal e analisa nomes para compor o novo time de diretores da companhia, destaca o Valor Econômico. Os executivos de saída da empresa têm sugerido profissionais da casa como substitutos.

Duratex (DTEX3)

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) anunciou nesta quinta-feira que aprovou crédito de R$ 697 milhões para a Duratex construir uma fábrica de celulose solúvel.

Com capacidade de 500 mil toneladas por ano, a planta sediada em Minas Gerais tem início da operação previsto para 2022. O projeto é concentrado na LD Celulose, joint venture criada em 2019 pela Duratex com a austríaca Lenzing, líder mundial na produção de fibras de celulose.

A Duratex tem 49% no capital da LD. O investimento estimado do projeto é de cerca de R$ 5,2 bilhões. A Duratex participará com aporte de ativos florestais e financeiros.

“Com o projeto, a Duratex diversifica seus negócios e aumenta o retorno de seus ativos florestais”, afirmou o BNDES sobre a companhia brasileira controlada pela Itaúsa (ITSA4) e especializada em louças sanitárias e painéis de madeira. A produção na nova planta será comprada pela Lenzing e usada na fabricação de viscose, usada para fios de tecidos.

Braskem (BRKM5)

A Braskem inicia nesta segunda-feira a paralisação de parte de sua operação no Polo Petroquímico do Grande ABC (SP), para realizar a manutenção das unidades de Químicos e Polietilenos (Q3 CK, Q3 IN e PE7). A companhia informa que a medida estava sendo planejada há cerca de dois anos e que investirá mais de R$ 430 milhões em cerca de 40 projetos de melhorias e manutenção do complexo.

A Braskem diz que nesse período modernizará o sistema elétrico que atende à central petroquímica Q 3 CK. O projeto prevê a troca de turbinas à base de vapor por motores elétricos de alto rendimento, suportados por uma nova unidade de cogeração de energia alimentada por gás residual do processo de produção petroquímica. Segundo a empresa, essa mudança estrutural permitirá que o processo produtivo da fábrica se torne energeticamente mais eficiente, com redução no consumo de energia estimada ao equivalente gasto por uma cidade com um milhão de habitantes.

“Com a cogeração combinada de energia elétrica e gás, vamos consumir menos energia e emitir ainda menos gases de efeito estufa. A estimativa é uma redução de 11,4% no consumo de água e de 6,3% nas emissões de CO2 na unidade, o que reforça nosso compromisso de nos tornarmos uma empresa carbono neutro até 2050”, explica Alberto Amano, responsável por projetos da regional São Paulo. A Braskem afirma que para não causar impactos no fornecimento de produtos, planejou o aumento de seu estoque.

Estapar (ALPK3)

A XP iniciou a cobertura para as ações de Estapar com a recomendação neutra e preço-alvo de R$ 9,70 por ação para o final de 2021, o que implica em um potencial de valorização de 19% frente o fechamento de quinta-feira.

Apesar de acreditarmos na capacidade da empresa em continuar crescendo e liderando o setor de mobilidade urbana no Brasil, o cenário atual traz alguns pontos de atenção que merecem destaque.

Eles destacam: i) a extensão da pandemia: embora uma parte relevante dos contratos usufrua de mecanismos de reequilíbrio de perda de receita, o lucro bruto (ex-depreciação) da Estapar caiu cerca 35% em 2020 quando comparado a 2019; ii) atual nível de alavancagem: a empresa está sendo negociada no patamar de 3,3 vezes Dívida Líquida/EBITDA para 2021, e precisará alongar o cronograma de amortização da dívida já que possui R$ 42 milhões em caixa e uma dívida de R$ 474 milhões com vencimento nos próximos 12 meses.

“Apesar da nossa postura mais conservadora, acreditamos que a Estapar está bem posicionada para entregar um CAGR de receita de 7,3% entre 2019 e 2024, impulsionada por: i) consolidação do mercado; ii) foco na TIR; iii) Zona Azul de São Paulo (ZASP), a qual é transformacional para a Estapar e começará a aparecer nos resultados a partir do 1° trimestre de 2021”, avaliam os analistas.

Multiplan (MULT3)

A Multiplan Empreendimentos Imobiliários anunciou que irá retomar a partir desta segunda as atividades no Park Shopping Barigüi, em Curitiba. De acordo com as orientações das autoridades locais, o empreendimento irá funcionar em horário reduzido.

“A determinação anunciada será acompanhada pela companhia, de acordo com o desdobramento dos fatos, novas determinações ou orientações das autoridades”, acrescenta a administradora de shoppings em fato relevante.

Enjoei (ENJU3)

A Enjoei divulgou dados operacionais preliminares não auditados referentes ao primeiro trimestre de 2021. O GMV (valor total pago por compradores) subiu de R$ 84 milhões no primeiro trimestre de 2020 para R$ 172 milhões. O número de novos compradores subiu no período de 98 mil para 202 mil. O de compradores ativos, de 519 mil para 1,084 milhão. O de novos vendedores, de 103 mil para 225 mil. E o de vendedores ativos, de 543 mil para 787 mil.

Panvel (PNVL3)

A Dimed, controladora da Panvel Farmácias, da Distribuidora de Medicamentos Dimed e do Laboratório Lifar, informou nesta quinta-feira (1) a aprovação pelo seu Conselho de Administração do pedido de adesão ao Novo Mercado, segmento especial de governança corporativa da B3.

Para executar a migração para o Novo Mercado, foi autorizada a convocação de uma Assembleia Geral Extraordinária (AGE) que irá deliberar sobre a conversão das ações preferenciais da companhia (PNVL4) em ações ordinárias.

“A proposta concretiza o compromisso assumido publicamente pelos acionistas controladores no Acordo de Acionistas e reiterado no âmbito da oferta pública exitosamente concluída em 2020, trazendo benefícios para todos os acionistas minoritários, na medida em que elevará a companhia ao mais alto nível de governança corporativa”, destacou a companhia no comunicado.

De acordo com a proposta, os acionistas controladores poderão converter suas ações preferenciais pela taxa de uma ação PN para 0,8 ação ON. Os demais acionistas poderão converter suas ações preferenciais pela taxa mais favorável de 1 ação PN para 1 ação ON. “Esta solução inovadora traduz a preocupação da companhia com todos os seus acionistas e reforça seu compromisso com as melhores práticas de governança do mercado”, afirmou a empresa na nota.

(com Estadão Conteúdo e Reuters)

Quer descobrir como é possível multiplicar seu capital no mercado de Opções? O analista Fernando Góes te mostra como na Semana 3×1, evento online e 100% gratuito. Clique aqui para assistir.

The post Renúncia de conselheiros do BB, programa de recompra de ações da Vale, notícias de Petrobras e mais destaques appeared first on InfoMoney.