sexta-feira, abril 2

Pixel 6 deve mesmo contar com chip “Whitechapel” feito pelo Google

Tudo indica que o Pixel 6 será anunciado no segundo semestre de 2021. O principal atributo do modelo não deve ser um novo conjunto de câmeras ou alguma inovação no Android, mas a presença do Whitechapel, codinome para um processador desenvolvido pelo próprio Google.

Google Pixel 4a (imagem: Daniel Romero/Unsplash)

Google Pixel 4a (imagem: Daniel Romero/Unsplash)

É o que aponta o 9to5Google. O veículo teve acesso a um documento que reforça os rumores de que o Google lançará celulares Pixel equipados com o Whitechapel neste ano. Essa seria uma forma de a companhia diminuir a dependência da Qualcomm.

Se confirmada, a abordagem do Google será similar à estratégia da Apple, que desenvolve os processadores do iPhone e do iPad, além de ter começado, em 2020, a equipar a linha Mac com os chips M1, também próprios.

No documento, o 9to5Google notou que a denominação Whitechapel é usada em conjunto com o codinome Slider. Aparentemente, este último identifica a plataforma da qual o chip Whitechapel fará parte.

O veículo também destaca que o Google se refere internamente ao chip como GS101. É possível que ‘GS’ seja a sigla para “Google Silicon”. Como o projeto visa beneficiar não só a linha Pixel, mas também Chromebooks, é de se imaginar que o nome faça referência a uma plataforma ampla que, como tal, permitirá o desenvolvimento de mais de um modelo de processador.

Por ora, há informação apenas de que o tal Slider estará presente em dois dispositivos identificados como “Raven” e “Oriole”, que seriam codinomes para a linha Pixel 6 (se essa for mesmo a denominação oficial).

Porém, até o momento, as informações técnicas a respeito do projeto são escassas. A quantidade de núcleos e a GPU que complementará o chip estão entre as várias características que ainda são desconhecidas.

Por outro lado, algumas referências apontam que o Whitechapel (ou GS101) está sendo desenvolvido em parceria com a Samsung, o que significa que os novos chips poderão compartilhar algumas características com os processadores Exynos.

O Google foi procurado, mas preferiu não comentar o assunto.

Pixel 6 deve mesmo contar com chip “Whitechapel” feito pelo Google