segunda-feira, abril 5

Pandemia acelera digitalização, mas vagas em TI estão sobrando. Por quê?

O mercado de tecnologia da informação deve criar 264 mil vagas em quatro anos, segundo dados da Associação das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação e de Tecnologias Digitais (Brasscom). Atualmente, a demanda é de 70 mil profissionais por ano, mas 25 mil vagas ficam ociosas. Ou seja, a conta não fecha. Tendências como a digitalização das empresas na pandemia, a lei que permite o desenvolvimento de tecnologias de internet das coisas e o leilão das frequências de internet 5G são temas que puxam o crescimento do setor de tecnologia da informação.

Para formar jovens e profissionais em transição de carreira, escolas de tecnologia oferecem cursos de curta duração com tantas horas de estudo quanto uma graduação. Para falar sobre o tema, o convidado do podcast EXAME Tech é Alexandre Tibechrani, gerente-geral da escola de programação Ironhack para a América.

“As empresas se movem muito mais rápido do que o modelo educacional consegue se mover hoje. Por isso, há um “gap” no mercado e os “bootcamps” vêm para preencher esse espaço. O mercado de trabalho é muito receptivo para isso. Temos o caso de um advogado que estava frustrado na profissão, fez o curso de tecnologia e hoje lidera uma equipe técnica voltada para esse mercado porque entende do negócio e da parte técnica”, diz Tibechrani.

Para o executivo, as empresas têm aceitado cada vez mais profissionais especializados por meio de cursos intensivos. “Há dez anos, o Google pedia formação em universidades de ponta. Hoje, a seleção do Google é muito mais focada no portfólio de cada candidato e na história do aprendizado e dos problemas resolvidos com a tecnologia”, afirma.

Ouça, a seguir, o EXAME Tech.

Podcast – Por que as vagas em TI estão sobrando? | EXAME TECH