sábado, março 6

Mineradores de bitcoin são acusados de roubar US$ 2 milhões em energia elétrica

Mineradores de bitcoin (BTC) da Malásia foram acusados de roubar US$ 2 milhões em eletricidade ao longo de 2021. Segundo a polícia local, eles alteravam hardware de monitoramento elétrico para que suas instalações registrassem um consumo muito inferior ao real. Foram apreendidas 1.746 máquinas de extração da criptomoeda e 7 homens foram presos.

Mineração de Bitcoin (Imagem: Marko Ahtisaari/Flickr)

Mineração de Bitcoin (Imagem: Marko Ahtisaari/Flickr)

A polícia do estado de Johor Bahru revelou as informações através de um relatório enviado ao jornal Malay Mail. As autoridades locais afirmaram que o grupo formou uma espécie de quadrilha criminosa de mineração de bitcoin e sua completa extensão ainda é desconhecida

Segundo o Malay Mail, o chefe de polícia responsável pelo caso, Datuk Ayob Khan, disse em coletiva de imprensa: “A polícia está conduzindo mais investigações para rastrear o cérebro do grupo e outros membros que ainda estão foragidos”.

Como operavam os criminosos

A empresa de eletricidade TNB revelou ao jornal local que sofreu perdas de US$ 22 milhões em fraudes no sistema elétrico relacionadas à mineração de bitcoin ao longo de 2020. Neste ano, a polícia estima que em menos de dois meses US$ 2 milhões em eletricidade tenham sido roubados somente por esse grupo.

Eles alteravam a fiação elétrica para que o consumo de energia detectado nos sítios de operação fosse registrado a níveis muito reduzidos. Tudo isso para minerar bitcoin de maneira mais barata, criptomoeda que recentemente bateu os US$ 50 mil.

Acontece que a extração da moeda digital é uma atividade muito custosa, tanto em equipamentos quanto em gastos em energia. Por isso, para maximizar seus ganhos, o grupo fraudava o hardware de monitoramento de consumo elétrico. As autoridades não deram mais detalhes sobre o exato procedimento feito pelos criminosos.

Polícia realizou operação em 21 instalações

As investigações vêm acontecendo há cerca de um mês. Porém, foi nesta última segunda e terça-feira que a polícia de Johor realizou uma grande operação em quatro distritos da cidade. Foram identificadas 21 instalações de mineração de bitcoin que estariam fraudando os medidores de consumo de eletricidade.

Como resultado, sete homens de 24 a 64 anos foram presos em flagrante, enquanto 1.746 máquinas foram apreendidas, valendo cerca de US$ 640 mil. O modelo das máquinas também não foi revelado. As autoridades acreditam que o grupo possa estar envolvido com outras organizações em diferentes estados no país que estariam operando de forma parecida.

Com informações: Malay Mail

Mineradores de bitcoin são acusados de roubar US$ 2 milhões em energia elétrica