terça-feira, abril 6

Méliuz e Enjoei: por que os dados prévios do primeiro trimestre de 2021 animaram tanto os investidores?

SÃO PAULO – Depois das ações da Enjoei (ENJU3) saltarem quase 12% na véspera, nesta terça-feira (6) é a vez do Méliuz (CASH3) reagir positivamente à divulgação dos dados operacionais prévios do primeiro trimestre de 2021. Às 10h55 (horário de Brasília), os ativos CASH3 tinham ganhos de 4,77%, a R$ 29,19.

A companhia informou que, ao longo do trimestre, foram abertas 2,4 milhões de novas contas no Méliuz, uma média de 27 mil contas abertas por dia. Com esse número, chegou-se a uma base total de 16,4 milhões de contas abertas – um crescimento de 73% em relação ao total no final do primeiro trimestre de 2020.

Já o número de usuários ativos nos últimos doze meses registrou um crescimento de 226%, passando de 2,2 milhões no primeiro trimestre de 2020 para 7,1 milhões no primeiro trimestre de 2021.

No período, a companhia originou para os parceiros do Marketplace um GMV (Gross Merchandise Volume ou Volume Bruto de Mercadorias) de mais de R$ 833 milhões, um crescimento de 91% na base de comparação anual. Considerando o GMV no primeiro trimestre de 2021, originou-se um total de R$ 2,9 bilhões, um crescimento de 59% em relação ao desempenho observado nos primeiros três meses de 2020, apesar do GMV do setor de viagens ainda não ter voltado aos patamares do 1º trimestre de 2020.

“Na esfera dos serviços financeiros, o Cartão Méliuz – cartão de crédito co-branded que não possui anuidade e oferece até 1,8% de cashback -, ao final do primeiro trimestre de 2021, atingiu a marca de 4,5 milhões de solicitações – 19 vezes o número atingido no primeiro trimestre de 2020”, destacou a empresa.

O Bradesco BBI apontou que o Méliuz entregou mais um resultado significativamente melhor do que o esperado, com o número de usuários ativos atingindo 7,1 milhões no primeiro trimestre, enquanto para o ano os analistas estimavam um número de 8,6 milhões.

“Em termos de GMV, apesar de impactado positivamente pela sazonalidade favorável do trimestre, o crescimento de 91% na base anual também nos surpreendeu e vemos sinais de alta em nossa estimativa para 2021. O segmento de cartões também se manteve forte, enquanto a oferta de soluções mais frequentes (cartão presente e recargas de celular) já mostrou impactos positivos no engajamento do usuário, levando a um maior número de transações por usuário e fazendo com que os primeiros usuários iniciem sua jornada de consumo. Ao todo, vemos os dados operacionais do Méliuz  altamente positivos, uma vez que a empresa continua a entregar resultados além de nossas expectativas”, afirmam os analistas.

O BBI reforça o Méliuz como a primeira escolha entre três setores (tecnologia, saúde e educação) na cobertura consolidada, com um preço-alvo de R$ 42 para o final de 2021.

O Itaú BBA também tem recomendação outperform para os ativos, com preço-alvo de R$ 32. Os analistas do banco ressaltam principalmente a aceleração do GMV, sustentando a aceleração das vendas que teve início no terceiro trimestre de 2020 e batendo a estimativa dos analistas em 23%. Já as requisições para novos cartões de crédito de 1,4 milhão superaram em 21% as estimativas do banco.

“A empresa apresentou um desempenho impressionante apesar do impacto significativo em curso da pandemia no GMV nos setores de viagens e lazer (entre 10% e 15% do GMV no primeiro trimestre de 2020), indicando que o crescimento do mercado excluindo estes segmentos está ultrapassando os números preliminares”, apontam.

A companhia ainda apresenta um caminho bem-sucedido para aumentar a recorrência do ecossistema através dos programas de cartão de crédito em parceria com o banco Pan, a Nota Fiscal Méliuz, entre outros. “A empresa relatou KPIs [Key Performance Indicator, indicador de desempenho que mede se a ação está atendendo os objetivos] encorajadores para os recursos da plataforma, cartões-presente e recargas de celular adicionados recentemente. Em março de 2021, os usuários com acesso a esses recursos compraram em média 2,1 cartões-presente e recarregaram seus celulares 1,5 vez no mês, em média. De acordo com os analistas do BBA, os números apresentados pela companhia devem desencadear uma revisão significativa das expectativas do banco e do mercado para 2021.

Dados da Enjoei seguem animando o mercado

Como destacado acima, a Enjoei também viu suas ações registrarem forte alta na véspera, que continua na sessão desta terça. No mesmo horário, os ativos ENJU3 subiam 6,14%, a R$ 12,62.

Entre os destaques, está o crescimento do GMV, que acelerou para 102% no primeiro trimestre, de 95% no quarto trimestre de 2020 e 89% no terceiro trimestre de 2020, na base de comparação anual.

Os analistas do BBI apontaram que o GMV de R$ 170 milhões está em linha com a estimativa do banco avaliando que, embora seja no início do ano, a Enjoei está no caminho certo para cumprir a estimativa de R$ 909 milhões (alta de 84% na comparação com igual período do ano anterior) para o ano fiscal.

Já o crescimento de compradores ativos (alta de 109% na comparação com igual período do ano anterior) e novos compradores (alta de 107% na mesma base de comparação) permaneceu na casa dos três dígitos, com ambas as métricas acelerando ligeiramente em relação ao quarto trimestre. O o crescimento de novos vendedores acelerou significativamente para alta de 118% na comparação anual nos primeiros três meses de 2021, a partir de alta de 78% na base anual anterior, o que, na avaliação do BBI, parece sugerir que as iniciativas destinadas a envolver os vendedores (como contribuições de
transporte ligeiramente mais baixas) estão mostrando resultados iniciais positivos.

“Os números acima mostram forte crescimento e dinâmica de aceleração, o que é claramente positivo após o IPO da empresa no início de novembro. A forma geral dos números – com o crescimento do GMV sendo impulsionado por novos usuários – mostra que a estratégia delineada durante o IPO está no caminho certo. Um ponto positivo incremental nesse conjunto de números é a aceleração do crescimento do número de novos vendedores, que é uma das principais prioridades da administração, à medida que novos vendedores trazem novos produtos, o que expande o sortimento e cria uma experiência mais envolvente para os compradores. Quanto mais compradores, maior será a oportunidade (e o envolvimento dos) vendedores – e assim por diante”, afirmam.

A companhia também informou que, como parte da estratégia para estender o alcance do Enjoei Pro, o serviço pelo qual a Enjoei gerencia todo o processo de vendas em nome dos vendedores, lançou uma iniciativa de economia circular em outras plataformas, incluindo o Mercado Livre.

“Não temos detalhes de como isso vai funcionar, mas o fato de a Enjoei estar começando a trabalhar ao lado da maior plataforma de marketplace do Brasil é positivo, pois melhorará o conhecimento da marca e gerará mais tráfego (o que significa mais compradores e mais compradores significa mais oportunidades para os vendedores, o que incentiva mais produtos a serem listados)”, afirmam.

A recomendação do banco para as ações é outperform, com preço-alvo de R$ 23: ” a empresa tem fortes vantagens competitivas (pioneira, experiência difícil de replicar) e opera em uma categoria com baixa penetração online e menos competição do que, por exemplo, a categoria altamente consolidada de eletrônicos”.

Entenda o método para realizar análises e não se perder em momentos turbulentos. A série gratuita One Good Trader, com Gilberto Coelho, te ensina como – inscreva-se!

The post Méliuz e Enjoei: por que os dados prévios do primeiro trimestre de 2021 animaram tanto os investidores? appeared first on InfoMoney.