Press "Enter" to skip to content

Marconny diz não lembrar nome de senador que destravaria compra de testes

O empresário Marconny Faria, apontado como lobista da Precisa Medicamentos, disse à CPI da Covid, nesta quarta-feira, 15, que não lembra o nome do senador que ajudaria a “desatar nós” de um contrato para compra de testes de covid-19. O parlamentar teria sido mencionado em conversas com Ricardo Santana, ex-secretário da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). 

Onde Paulo Guedes, Arthur Lira e Joe Biden se encontram? Nas análises da EXAME Academy. Assine e entenda como a política mexe com seu bolso

Ao ser questionado pelo senador Fabiano Contarato (Rede-ES) sobre quem é o senador, Marconny disse não saber. “Não conheço quem é esse senador”, afirmou, mais de uma vez. Contarato lembrou que, em mensagem trocada com Santana, Marconny diz conhecer “um senador que vai desatar o nó”. Mesmo diante da menção, ele se negou a dizer o nome.

“O senhor deve isso para mim também, porque eu sou senador, e eu não quero que paire a dúvida para a população brasileira de que poderia ser o meu nome, ou o nome do senador Randolfe, do senador Otto, do senador Renan, do senador Alessandro”, insistiu Contarato. “Na medida em que não diz, incrimina a todos nós”, concordou o senador Renan Calheiros (MDB-AL).

Com a recusa de Marconny em revelar o nome, o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP)  apontou outra mensagem trocada entre o empresário e Santana. No dia 20 de novembro de 2020, Marconny teria dito que “Bob”, que seria Roberto Ferreira Dias, então diretor do departamento de Logística do Ministério da Saúde, “vai estar com o senador às 20h”. 

Mesmo assim, Marconny não respondeu quem seria o parlamentar. O presidente da CPI, senador Omar Aziz (PSD-AM), perguntou, então, com quantos senadores ele tem contato. “Nenhum”, respondeu o empresário, e reforçou não conhecer nenhum senador pessoalmente. 

A compra dos testes foi cancelada pelo Ministério da Saúde. Em seguida, a Precisa Medicamentos passou a ser investigada na operação Falso Negativo, que apura fraudes em negociações de empresas com o governo por testes superfaturados.

Amizade com Renan

Marconny disse ter uma relação de “amizade” com o filho mais novo do presidente Jair Bolsonaro, Jair Renan Bolsonaro. Ele negou conhecer os outros filhos e o presidente, mas admitiu conhecer a mãe de Jair Renan, Ana Cristina Siqueira Valle. “A Cristina eu conheci pelo filho e o Jair eu conheci por amigos em comum logo que ele chegou a Brasília”, afirmou.

O empresário disse não ter feito “nenhum tipo de negócio” com Jair Renan ou com Ana Cristina. Ele confirmou, no entanto, ter apresentado um “colega tributarista” para ajudar na abertura da “empresa de influencer” de Jair Renan.

Mission News Theme by Compete Themes.