terça-feira, abril 6

Helicóptero Ingenuity envia primeira foto colorida de Marte

O pequeno helicóptero Ingenuity, que estava dobrado e acoplado quase como se na “mochila” do recém pousado rover marciano Perseverance, enviou o resultado do seu primeiro trabalho nesta terça-feira, 6: um registro em cores e alta definição do desértico solo de Marte, próximo da área de onde alçará o seu primeiro voo.

Os momentos que sucederam os preparativos para a liberação do drone foram de grande expectativa para a Nasa. Ainda existiam dúvidas sobre a capacidade do dispositivo em aguentar às baixas temperaturas marcadas.

Com noites de até 90 °C negativos, seus componentes elétricos, incluindo a bateria, poderiam sofrer com falhas. No entanto, o helicóptero sobreviveu com sucesso e a equipe considera este como um marco importante para a missão. Por consequência, chegou à Terra a seguinte imagem:

Eis a fotografia enviada pelo primeiro drone a ir para Marte.Nasa/Ingenuity/Reprodução

Nos dias seguintes, o Ingenuity, se tudo ocorrer como o programado, a aeronave deve tentar decolar em ao menos três momentos. O objetivo é apenas testar a possibilidade de um equipamento voar em outro planeta e comandar tudo à distância. Este feito poderá revolucionar a exploração espacial, uma vez que naves como o Ingenuity podem explorar lugares que um rover não é capaz de acessar.

O que é a missão Perseverance da Nasa?

No dia 18 de fevereiro, o rover Perseverance (“perseverança”, em português) pousou em solo marciano com o objetivo de buscar por sinais de vida no planeta vermelho.

O rover irá analisar a geologia e procurar pistas sobre como era o clima de Marte no passado, abrindo caminho para exploração humana. Ele também irá coletar rochas e sedimentos do local para serem analisados posteriormente na Terra, algo nunca antes feito no planeta.

A espaçonave, que viajou por volta de 468 milhões de quilômetros desde o seu lançamento no dia 30 de julho de 2020, pousou na cratera de Jezero, uma bacia no planeta vermelho, onde os cientistas acreditam que um antigo rio desaguou em um lago e depositou sedimentos. Eles consideram provável que o ambiente tenha preservado sinais de alguma vida que tenha habitado Marte até bilhões de anos atrás.

Desde sua chegada, o rover já divulgou vídeos da sua descida, o primeiro áudio de Marte e fotos inéditas.