quinta-feira, fevereiro 25

Google revela os dados que seus apps coletam no iOS

Após semanas sem liberar novas atualizações para seus aplicativos no iOS, o Google finalmente revelou quais tipos de dados soluções como Gmail e YouTube coletam na plataforma, além de alguns detalhes sobre a maneira como essas informações são utilizadas. Esse tipo de transparência passou a ser obrigatória para desenvolvedores, a partir de novos recursos de privacidade disponíveis no iOS 14.

As informações também mostram que, ao contrário do que muitos poderiam imaginar, o YouTube registra muito mais dados dos usuário do que o Gmail, por exemplo, assim como utiliza um maior volume dessas informações para fins de publicidade ou curadoria de conteúdo. Isso tem a ver, claro, com o caráter confidencial das mensagens em nossas caixas de entrada.

De maneira geral, o Google afirma que não passa os dados coletados de seus usuários a terceiros, ainda que permita que estes segmentem publicidade a grupos específicos de seus usuários. Por outro lado, os registros apresentados não contam a história inteira e ainda incluem citações a “outros dados” em meio à lista que informa o registro de informações como histórico de compras ou buscas, localização, contatos ou dados do dispositivo usado para acesso.


Podcast Porta 101: a equipe do Canaltech discute quinzenalmente assuntos relevantes, curiosos, e muitas vezes polêmicos, relacionados ao mundo da tecnologia, internet e inovação. Não deixe de acompanhar.

Comparação das informações sobre privacidade disponibilizadas pelo Google para o Gmail e o YouTube no iOS; transparência é exigência da Apple para apps que fazem coleta de dados (Imagem: Captura de tela/Felipe Demartini/Canaltech)

A Apple também passou a exigir uma diferenciação na exibição de tais informações aos usuários, com uma indicação de quais dados são usados para rastrear o usuário entre apps do mesmo ou de diferentes desenvolvedores. No caso do YouTube e do Gmail, por exemplo, isso é feito por meio de dados de contato e identificadores como o próprio e-mail usado para acesso às contas, enquanto a ideia é que a telemetria de utilização de cada app permanece restrita aos próprios e, no caso, também à exibição de publicidade segmentada em cada plataforma, de forma individual.

As novas regras de transparência e privacidade do iOS 14 colocaram a Apple em pé de guerra com o Facebook, por exemplo, enquanto o Google permaneceu quieto sobre a questão. Entretanto, desde que as normas entraram em vigor, a empresa havia deixado de atualizar softwares como o Gmail e o YouTube, com o update que foi liberado nesta semana sendo o primeiro em algum tempo, justamente porque, a partir de agora, é exigido que os desenvolvedores liberem as informações de coleta de dados ao público.

O objetivo das mudanças, segundo a Maçã, é garantir que os usuários façam escolhas mais acertadas na hora de baixar aplicações ou dar permissões de acesso a dados. Para acessar as informações, basta acessar a página dos aplicativos na App Store e rolar a tela até a seção “Privacidade do app”, que traz todas as indicações e também permite acesso a mais detalhes sobre cada uma delas.

Leia a matéria no Canaltech.

Trending no Canaltech: