Press "Enter" to skip to content

Em reta final da CPI, senadores da comissão têm forte desempenho online

O líder da Minoria no Senado, Jean Paul Prates (PT-RN), contou em suas redes sociais que a mãe fugiu a pé do exército de Adolf Hitler durante a invasão da França. O relato foi feito para defender que práticas descobertas pela Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da covid se assemelham a ações dos nazistas. O tema despertou o interesse de seus seguidores, que reagiram com 3,6 mil curtidas e 524 compartilhamentos no Twitter. O assunto foi um dos responsáveis pelo avanço de nove posições do parlamentar no ranking FSBinfluênciaCongresso.

Power BI para Investidores

O ranking, produzido pelo Instituto FSB Pesquisa, mede a popularidade dos parlamentares nas redes sociais.

Além dele, tiveram desempenho positivo nas redes, entre 5 e 11 de outubro, os integrantes da CPI Simone Tebet (MDB-MS), Eduardo Girão (Podemos-CE) e Alessandro Vieira (Cidadania-SE). Eles ganharam cinco, quatro e duas colocações, respectivamente, e melhoraram sua posição na lista dos mais influentes do Senado. No entanto, outros nomes que integram o colegiado, Fabiano Contarato (Rede-ES) e Renan Calheiros (MDB-AL) perderam fôlego nas redes, depois de uma forte atuação na semana anterior.

Flávio Bolsonaro (Patriota-RJ), também membro da comissão, foi outro que recuou dois lugares, perdendo o primeiro lugar no pódio. Humberto Costa (PT-PE) ocupou seu lugar, seguido de Randolfe Rodrigues (Rede-AP) em segundo. Em meio à variedade de debates políticos travados em seus perfis, os dois compartilham o trabalho como titulares da comissão parlamentar de inquérito. Entre os partidos, o Podemos é o destaque, com quatro representantes no levantamento.

Câmara

A transmissão ao vivo da coletiva de imprensa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, na última sexta-feira, 8, em Brasília, catapultou o deputado Rui Falcão (PT-SP) ao posto de nono lugar mais popular nas redes sociais da Câmara dos Deputados. A live no Facebook alcançou 99 mil comentários; 42 mil reações; e 6,2 mil compartilhamentos em apenas quatro dias. O evento o fez avançar 120 posições e ingressar no ranking FSBinfluênciaCongresso da semana.

Por outro lado, uma aliada do governo federal, Alê Silva (PSL-MG), também se destacou no período. Ela ganhou 14 posições e passou a integrar o seleto grupo dos 20 mais influentes no ambiente online. Um dos temas que mais engajou seus seguidores foi a defesa do veto do presidente Jair Bolsonaro à distribuição gratuita de absorventes femininos para estudantes de baixa renda e pessoas em situação de rua. Um dos seus posts a respeito do tema obteve 35,2 mil curtidas; sete mil compartilhamentos e 2,7 mil comentários no Twitter.

A bancada do PSL, campeã das redes, por sua vez, mantém a liderança, assegurada desde o início do ano. Carla Zambelli (PSL-SP) continua a ocupar o topo do levantamento, assim como Bia Kicis (PSL-DF) garante o segundo lugar e Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), o terceiro. O partido tem nove nomes na lista. O PT vem em seguida, com quatro representantes no ranking.

Siga a Bússola nas redes: Instagram | LinkedInTwitter | Facebook | Youtube

Veja também

Mission News Theme by Compete Themes.