sábado, fevereiro 27

Começa a valer a restrição de circulação à noite em SP. O que muda? 

Desde a noite de sexta-feira, 26, começou a valer em São Paulo uma fiscalização mais intensa para coibir aglomerações no período noturno. Apesar de o governo estadual dizer que das 23 horas até as 5 horas da manhã somente deslocamentos essenciais são permitidos, como voltar do trabalho, ir a hospitais, farmácias ou postos de gasolina, não haverá multa para quem estiver fora de casa neste período.

A nova regra se estende até 14 de março e a Polícia Militar faz a fiscalização, incluindo blitze nas ruas de grandes cidades do estado, focadas em verificar principalmente possíveis aglomerações em festas clandestinas.

No dia do anúncio desta nova medida, na quarta-feira, 24, o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), reforçou que não se trata de um lockdown porque os serviços considerados essenciais, como farmácias e postos de gasolina, podem funcionar. O transporte público também não é interrompido.

Durante o dia, valem as restrições de acordo com a fase em que a região está. A Grande São Paulo, por exemplo, está na 3 amarela (veja abaixo).

Neste fim de semana ainda valem medidas menos restritas da quarentena. Na segunda-feira, 1° de março, há mudanças em seis regiões do estado, incluindo a capital paulista, Sorocaba, Registro e Campinas. Neste locais o horário do comércio é reduzido de até 22h para até 20h. A capacidade permanece a mesma, com 40%, escolas também ficam abertas. Os bares precisam fechar.

As regiões de Ribeirão Preto e Marília, que estavam na 2 laranja da quarentena, retornaram à 1 vermelha, na qual apenas serviços essenciais podem operar. Piracicaba foi a única que melhorou a situação, e passou à fase 3 amarela, em que é permitido o funcionamento de restaurantes até 22h. As demais permaneceram onde estavam.

De acordo com o governo, a medida precisou ser adotada para frear o avanço da doença, principalmente pelo alto número de internações, que atingiu o maior valor na quinta-feira, 25, com 6.767 pacientes internados em terapia intensiva. A taxa de ocupação de leitos de UTI está em 70% tanto no estado quanto na capital paulista.

Quarentena em SP – mapa válido a partir de 1° de março

(Governo de SP/Divulgação)

Restrições da fase amarela

  • Capacidade de atendimento do comércio de rua e shoppings é de 40%. Podem abrir por no máximo 12 horas por dia, até as 22 horas
  • Restaurantes podem abrir com 40% da capacidade por 10 horas por dia, até as 22 horas. Venda de bebida é permitida até 22 horas
  • Bares podem abrir com 40% de capacidade, por 10 horas por dia, até as 20 horas
  • Salões de beleza podem funcionar por até 10 horas por dia
  • Academias podem abrir com 40% de capacidade, por 10 horas por dia, até 22 horas
  • Parques ficam abertos

Restrições da fase laranja – onde a Grande SP está

  • Capacidade de atendimento de comércio de rua, shoppings, salões de beleza e restaurantes é de 40%. Podem abrir por no máximo 8 horas por dia, até as 20 horas
  • Nas academias a capacidade máxima é de 40%
  • Bares são proibidos de ter atendimento presencial — apenas delivery é permitido
  • Os parques ficam abertos

Restrições da fase vermelha

  • Apenas atividades essenciais podem funcionar, como supermercados, farmácias e postos de gasolina
  • Comércio, shoppings, academias, salões de beleza, bares e restaurantes precisam ficar fechados
  • Parques ficam fechados