Press "Enter" to skip to content

Chefão do Instagram revela como o serviço decide o que você vê no feed

O chefe do Instagram, Adam Mosseri, trouxe alguns detalhes sobre como a rede social decide o que exibir para o usuário. Em uma publicação no blog oficial da empresa, Mosseri revela informações importantes para desmentir os boatos de que a rede intencionalmente oculta ou desfavorece certas postagens.

O que é link na bio no Instagram Como salvar vídeos do Reels para postar depois Facebook e Instagram lançam ferramentas para celebrar mês do Orgulho LGBTIQ+

Não há uma resposta curta para explicar como o Instagram funciona. Segundo o chefão da companhia, a rede utiliza milhares de “sinais” para determinar o que você vê no seu feed e que um conjunto de algoritmos distintos faz os cálculos para definir o que é interessante. Mosseri explica que a maioria dos seguidores não vê todas as postagens porque vê menos da metade do feed.

Today we released more information on how our systems rank content on Instagram, and why people see what they see.https://t.co/fEgprSilBi


Feedly: assine nosso feed RSS e não perca nenhum conteúdo do Canaltech em seu agregador de notícias favorito.

— Adam Mosseri 😷 (@mosseri) June 8, 2021

Esses “sinais” foram elencados pelo próprio Mosseri e estão listados em ordem de importância para a linha do tempo:

Informações sobre a postagem. Indica a popularidade de um post (quantas interações ela tem) e detalhes sobre o conteúdo em si: quando foi postado, quanto tempo de audiência e qual local está atrelado (ao que parece, existe maior preferência para conteúdos locais).
Informações sobre a pessoa que postou. A fonte do conteúdo precisa ser interessante para você, o que inclui quantas vezes houve interação com aquele perfil nas últimas semanas.
Sua atividade. A plataforma dá mais ênfase em conteúdos relacionados ao que você publica.
Seu histórico de interação. Se você costuma curtir ou comentários posts da mesma pessoa, a rede entende que você se interessa por aquele perfil.

De modo geral, a partir dessas medições, o Instagram vai prever quais os conteúdos entregues terão maior probabilidade de gerar engajamento do seu perfil. “Quanto mais provável você tomar uma ação, mais no topo você verá o post”, disse o Head do Instagram.

Critérios do Reels e da guia Explorar

O texto oficial da rede social também detalha os “sinais” que a empresa usa para mostrar o conteúdo na guia Explorar e nos Reels — serviço de vídeos curtos semelhante ao TikTok. Os critérios aqui são diferentes e mais voltados para mostrar o conteúdo a contas que ainda não conhecem o seu perfil.

Novamente, a primeira etapa é definir um conjunto de postagens para classificar. Para encontrar fotos e vídeos de seu interesse, o algoritmo analisa quais postagens você gostou, salvou e comentou no passado. Se você curtir muitos perfis relacionados a comida, por exemplo, a tendência é a guia Explorar trazer posts e vídeos relacionados a essa temática.

A diferença básica do Reels para outros formatos é que o objetivo é entreter o usuário (Imagem: Reprodução/Instagram)

A diferença básica do Explorar para os critérios usado no Reels é apenas uma: o entretenimento. Pegue todos os recursos já citados, mas em vez de abranger todo tipo de conteúdo, pense em focar sempre na diversão. Se algo é engraçado ou tem muitas curtidas, a tendência é de o mecanismo mostrá-lo para pessoas que já interagiram com algo similar.

No Reels, contudo, entram duas métricas exclusivas: a capacidade de assistir o vídeo até o fim e o clique para ir para o áudio (isso indica que você tem interesse em usar aquele som para produzir seu próprio conteúdo). Os sinais mais importantes em ordem de importância, são: a sua atividade, seu histórico de interação, informações sobre o Reel e quem o postou.

Veja que o que muda apenas é a ordem, mas os critérios permanecem inalterados, independentemente do formato escolhido. Essa é uma receita interessante para compreender como o algoritmo da rede funciona.

Penalizações e Shadow Ban

Mosseri também abordou sobre como as pessoas acusam o serviço de silenciar ou reduzir o alcance dos usuários, conhecido no mundo digital como Shadow Ban. Ele ponderou que a empresa fará um esforço maior para explicar porque os conteúdos são removidos e quando as pessoas infringem regras que podem causar punições na conta.

Apesar de as regras e diretrizes da plataforma serem públicas, muitos especialistas do segmento alegam que a rede social adota punições não-explícitas, como flopar posts, reduzir o alcance de stories ou limitar a quantidade de entregas no Reels. Por enquanto, nada foi esclarecido, mas Mosseri prometeu trazer detalhes sobre isso em breve.

Semana do Criador no Instagram

A explicação de Mosseri chega no exato momento em que o Instagram está lançando seu evento da Semana do Criador, projetado para ajudar os influenciadores digitais a construirem suas marcas na plataforma.

Quem produz conteúdo para a rede deve ficar ligado nas novidades desta semana (Imagem: Reprodução/Instagram)

A meta do Instagram é produzir uma série de posts para lançar luz sobre como a tecnologia da plataforma funciona e como afeta a experiência do usuário. Quem é influenciador digital ou trabalha com marketing digital deve ficar feliz em compreender mais a fundo como tudo funciona, já que nenhuma plataforma costuma ser transparente com seus critérios.

O que você achou das declarações de Adam Mosseri? Foram esclarecedoras ou ainda precisa de mais transparência? Comente e deixe sua opinião abaixo.

Leia a matéria no Canaltech.

Trending no Canaltech:

Astrônomos encontram “cadáver” de um centro galáctico ativo; entenda Mapearam a atividade neuronal dos programadores! Veja como ficam seus cérebros Embraer fecha venda de 200 carros voadores elétricos para empresa dos EUA 28 apps e jogos temporariamente gratuitos para Android nesta terça (8) Sonda da missão Tianwen-1 registra rover chinês e outros componentes em Marte

Mission News Theme by Compete Themes.