quarta-feira, fevereiro 24

Butantan começa produção de 1 milhão de doses da CoronaVac a cada 24 horas

O Instituto Butantan vem se mostrando empenhado em produzir a CoronaVac, vacina contra o coronavírus, com mais agilidade. De acordo como instituto, atualmente, existe uma equipe que conta com trezentos funcionários atuando em turnos de 12 horas para a fabricação do imunizante 24 horas por dia, sem interrupção.

A fábrica chegou a ficar parada por três semanas, por sofrer com a falta de insumos, mas voltou a todo vapor para entregar um total de 3,9 milhões de doses ao Ministério da Saúde, 500 mil a mais do que o plano original. O Butantan conta com capacidade para produzir um milhão de doses da vacina contra a COVID-19 por dia, planejando ainda duplicar a fabricação entre os meses de abril e maio, após finalizar o envase das vacinas contra a gripe comum (influenza).

Imagem: Reprodução/Governo de São Paulo

Acesso restrito

Nas fábricas do Instituto Butantan, o acesso aos insumos de fabricação da vacina e do imunizante pronto é bastante restrito. O funcionário precisa passar por um esquema de segurança envolvendo um sistema de reconhecimento facial e uma porta de chumbo. Primeiro, é preciso mostrar o crachá para um sensor e, logo depois, remover a máscara de proteção apenas para que o sistema faça a detecção do rosto.


Podcast Canaltech: de segunda a sexta-feira, você escuta as principais manchetes e comentários sobre os acontecimentos tecnológicos no Brasil e no mundo. Links aqui: https://canaltech.com.br/360/

Na sequência, o funcionário passa por uma grande porta de chumbo que pesa duas toneladas e, finalmente, está em uma sala com a temperatura em 5 ºC que mantém as doses e os insumos lacrados em caixas de alumínio. Os equipamentos de proteção envolvem um macacão branco, dois protetores para os sapatos, duas máscaras de proteção, um protetor de barba, se for o caso, e uma touca para os cabelos.

Imagem: Reprodução/Governo de São Paulo

Os funcionários que estão trabalhando na fabricação da CoronaVac já receberam a primeira dose da vacina com a autorização do governo, considerando se tratar de pessoas que estão na linha de frente na luta contra a doença. 

Leia a matéria no Canaltech.

Trending no Canaltech: