sexta-feira, abril 9

Anúncio da Fiocruz é mais um exemplo de concorrência benigna com Butantan

Informa a presidente da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), Nísia Trindade Lima, que a instituição planeja distribuir a partir de setembro vacinas contra a Covid-19 fabricadas com IFA (Ingrediente Farmacêutico Ativo) nacional. Será um avanço importante.

Aliás, a corrida entre a Fiocruz e o Butantan para ver quem fabrica antes e oferece mais vacinas contra o SARS-CoV-2 aos brasileiros tem sido exemplo de concorrência benigna. Outro caso benigno é a luta de governadores para trazer a Sputnik V. A população quer vacinas, venham de onde vierem.

Desde que sejam seguras e eficazes, claro. Mas o fato de uma vacina já estar certificada em dezenas de países deveria falar por si só. Estamos em situação emergencial. E situações emergenciais exigem atitudes não convencionais.

Infelizmente, a segunda onda da Covid-19 veio antes de estarmos plenamente preparados para vacinar a grande maioria da população. As razões são conhecidas. Houve fatores conjunturais, mas também estruturais. O principal é nossa deficiência científica e industrial.

Entre os países que não fabricam vacinas, o Brasil é o que até agora mais vacinou, em números absolutos. A afirmação diz algo sobre nossa capacidade de superação, mas também sobre nossas falhas. Estamos por enquanto nos superando, mas apenas para remediar falhas que vêm lá de trás.

*Alon Feuerwerker é analista político da FSB Comunicação.

Siga Bússola nas redes: Instagram | LinkedinTwitter  |   Facebook   |  Youtube