Press "Enter" to skip to content

A água S. Pellegrino você conhece. E as duas novas bebidas da marca?

Badaladas no Brasil, as águas da San Pellegrino, ou S. Pellegrino, brotam de uma fonte localizada nos alpes da região da Lombardia, na Itália. Engarrafadas desde 1899 são o cartão de visita da marca, que, no entanto, não se resume às icônicas garrafinhas verdes, vendidas na rede Pão de Açúcar, por exemplo, a 23,99 reais (750 mililitros). Isso porque a San Pellegrino também dispõe de uma linha de águas saborizadas e de mais outra, composta por sucos gaseificados.

Power BI para Investidores

Do último grupo, a companhia lança neste mês no Brasil duas representantes. Falamos da S. Pellegrino Aranciata e da S. Pellegrino Limonata. A primeira, produzida desde 1932 na Itália, é uma bebida gaseificada com 18,7% de suco de laranja. A segunda carrega 16% de suco de limão na sua composição. São bebidas com pouca doçura – situam-se entre as sodas artesanais e os refrigerantes mais levinhos – e recomenda-se tomá-las só geladas, pois com gelo podem ficar aguadas rapidamente.

Com a novidade, a S. Pellegrino almeja cair nas graças dos consumidores que querem evitar bebida alcoólica, mas também não estão interessados em ficar no refrigerante ou no suco, duas opções com pouco apelo gastronômico, por sinal.

É uma decisão estratégica. Uma pesquisa de quatro anos atrás do departamento nacional de estatísticas do Reino Unido constatou que o não consumo de álcool entre pessoas de 16 a 24 anos cresceu 40%. Daí o crescente sucesso do mocktails, os coquetéis sem álcool, encontrados em qualquer bar de coquetelaria que se preze.

Dona de marcas líderes, como Johnnie Walker, Tanqueray, Smirnoff e Guinness, a Diageo está se preparando para um possível cenário abstêmio há tempos. A companhia aposta no Seedlip, autoproclamado o primeiro destilado não alcoólico do mundo, desenvolveu uma Guinness sem álcool para a Indonésia, outra para a África e o Orijin, uma bebida agridoce com ervas e frutas, vendida na Nigéria.

Já a PepsiCo vai começar a vender uma bebida com L-teanina, um aminoácido e suplemento usado para relaxamento e geralmente encontrado no chá verde. Chamada de Driftwell, ela foi desenvolvida para aliviar a ansiedade e a inquietação, que a pandemia ajudou a multiplicar mundo afora.

Sediada em Milão, a S. Pellegrino é controlada pela Nestlé desde 1997. No Brasil a distribuição está a cargo do grupo Minalba, responsável por outras marcas estrangeiras como Perrier, Acqua Panna e Estrella Galicia.

The post A água S. Pellegrino você conhece. E as duas novas bebidas da marca? appeared first on Exame.

Mission News Theme by Compete Themes.